quarta-feira, dezembro 19, 2007

«Ó pá, tu eras do Chaves...»

Caro Alvim, caro Mega (uma vez mais os meus parabéns!), nem sei bem como começar... Ai. É duro o que estou prestes a escrever. Ontem encontrei um velho amigo no 28 e, numa de revival, conversa para aqui, conversa para ali, acabei por sofrer um duro golpe no meu benfiquismo! Então não é que vocês tinham razão!? Eu era do Chaves!....
Tudo confirmado pelo meu velho amigo Pedro "Mula", o tipo com quem eu ía à bola nos idos de 80. Meu antigo vizinho do lado, há uma década a trabalhar no continente africano, é um tipo que revejo esporadicamente e que ontem me confrontou com algo que eu, pelos vistos, há anos ando a contrariar, ou seja, o meu passado chavista... lol Com direito a cachecol e tudo (eu por acaso acho que era uma bandeirinha...), diz ele. Mas, também acrescenta, era tudo porque eu era do contra. Ah, atenuante! Sim, sempre tive esta tendência para ser do contra. Devo estar desculpado, presumo. Ele confirma o meu benfiquismo (valha-nos isso...), e era pelo Benfica que íamos à Luz, mas comprova igualmente o meu forte pendor e entusiasmo pelo sucesso que o Grupo Desportivo de Chaves experimentava por essa altura. Sucesso patente nestas linhas "sacadas" ao site do GDC:

«Foi finalmente na época de 1984/85, após se ter consagrado como vencedor da liguilha de acesso à 1ª Divisão (vitória sobre o União da Madeira, no Funchal, por 4-3), que o G.D. Chaves conquistou pela primeira vez um merecido lugar no Campeonato Nacional da 1ª Divisão, colocando desta forma o clube numa nova posição na panorâmica nacional e dando início a uma nova página na história desportiva da cidade e da Região Transmontana. Este feito histórico era o concretizar dos objectivos a que o clube se propusera no passado e, assim, pela primeira vez, Trás-os-Montes tinha uma clube na 1ª Divisão Nacional.
Na época de 1985/86, muitas expectativas estavam colocadas sobre a equipa Flaviense, às quais o clube respondeu com um brilhante 6º lugar na classificação final da 1ª Divisão, ganhando por mérito próprio a designação pela crítica de “equipa sensação” do campeonato, tendo conseguido também o feito de ter atingido os quartos-de-final da Taça de Portugal.
Tudo fazia prever que a Época 1986/87, depois do brilhante desempenho na temporada anterior, traria ainda melhores resultados, e, para satisfação de todos os transmontanos, o Grupo Desportivo de Chaves obteve um espectacular 5º lugar, que lhe daria acesso às competições europeias pela primeira e única vez na sua história.
O clube tinha desta forma, no espaço de 3 anos, conseguido afirmar-se como um dos melhores da 1ª Divisão, abrindo ainda a estrada para a Europa na qual o nome de Chaves e da Região do Alto Tâmega, foram tão dignamente representados, com uma vitória sobre a Universidade de Craiova na primeira eliminatória ( U. Craiova, 3 - G.D. Chaves, 2 / G.D. Chaves, 2 - U. Craiova, 1), vindo a ser posteriormente eliminado na Hungria pelo Honved, na segunda eliminatória da Taça UEFA ( G.D. Chaves, 1 - Honved, 2 / Honved, 3 - Chaves, 1).
Na época de 1989/90, o clube conseguiria de novo repetir o 5º lugar na classificação geral.»

Posto isto, primeiro, aceitem ambos as minhas sinceras desculpas pela recusa insistente destes factos ao longo dos anos, recusa quase sempre a raiar a desconfiança e as bases da nossa amizade... lol. Segundo, que fique claro que sempre fui benfiquista, facto mais do que confirmado presentemente, como cristão-novo que sou (sócio 105278). Mas é verdade, durante alguns tempos fui sensível à performance daquele grupo desportivo. As histórias que ouvia nas férias (passadas em Chaves) sobre as verdadeiras batalhas campais em que geralmente se tornavam os jogos Chaves-Vizela; a semelhança do equipamento do GDC com o do meu outro clube do coração (na altura!; não venham agora dizer que sempre fui do Barça...) que era o clube catalão; a bandeirinha (ou cachecol); o acesso à Taça Uefa em 1987; e, mais do que tudo, a minha mania de ser do contra; tudo atesta que o GDC foi (também) o meu clube. Portanto, daqui para a frente, sempre que me disserem que sou (fui) do Chaves não me vou importar!

11 comentários:

Serafim disse...

Só não percebo como é que alguém que sempre teve "tendência para ser do contra" se faz sócio do Benfica ... que está para o desporto como os católicos para a crença religiosa. Quem não tem opinião e ou não sabe do que se trata pertence.

PS: o Chaves não é e sempre foi um clube satélite do bi-campeão (a caminho do tri) FCP?

anauel disse...

Já cá faltava o Serafim e as suas bocas foleiras... E para tua informação, assim que descobri tal ligação partiu-se-me o coração... lol

Pedro Alvim disse...

No need for apologize.
Eu sei que és do contra e ainda bem, para variar :-)

Anónimo disse...

á. e por falar nisso, escreves muito mal

anauel disse...

ó anónimo, isso é para ser do contra?...

aquelabruxa disse...

diga-se de passagem que é mesmo à carlos ser do chaves... :)
nem sei o que te deu para te tornares benfiquista.

aquelabruxa disse...

e não é estar a meter-me onde não sou chamada, mas eu acho (e tu sabes) que escreves mesmo bem, não percebo a do anónimo.

Pedro Alvim disse...

O anónimo sou eu.
Foi preguiça de fazer log in outra vez.
E é óbvio que é por ele ser do contra - tem a ver com uma conversa nossa.

anauel disse...

Pois, eu calculei. No harm done my friend.

Pedro Magalhães disse...

A verdade vem sempre ao de cima. Agora a questão é a de saber se daqui a dez anos não te esquecerás que foste benfiquista...

Abraço,
Mega

anauel disse...

Maldade, isso é maldade, amigo Mega.
Mas eu estava a pedi-las...