terça-feira, julho 15, 2008

Fastiovais

Acredito que há uns anos atrás, por breves momentos, tenha sentido pena de não ter nascido na época dos festivais. Pelo contrário, nasci numa época em que mais tarde, quando chegasse a altura de fumar ganzas e abanar o esqueleto, a solução passava por ir a concertos em faculdades {vejam bem!}, no Dramático de Cascais {este nome é um mimo...} e no grande pequeno escuro abafado peganhento fumarento RRV. Os concertos eram escassos, bens de primeiríssima necessidade, artigos de luxo. Daí mais tarde ter chegado a pensar que era um infeliz por não ter nascido na época dos festivais. Data daí o único festival em que dei entrada. A segunda edição do Super Bock Super Rock, em 1996, e para ver exclusivamente os Massive Attack {e já vinham tarde, tão tarde...}. Uma coisa sei. Odiei aquela treta. E hoje, após o que vi {tv e afins}, depois do que li {imprensa e blogosfeira}, posso com todas as certezas deste mundo afirmar – Que felicidade não ter nascido em época de festivais! Que bom não saber o que é pisar um festival! Que bom não ter de andar a correr de palco em palco! Que bom não ter de aturar pessoal aos melos e em telefonemas despropositados enquanto procuro ver e ouvir uns tipos 2/3 metros acima de mim e uns 3/4 metros de mim afastados! Safa!

Eu leio este post da menina limão e só penso «desgraçada, veio por ali abaixo, numa boa onda, para curtir a cena e depois só lhe saem é duques». Tivesse ido antes ao Bonnie "Prince" Billy...

2 comentários:

menina limão disse...

Tal como disse na caixa de comentários desse post, há festivais e festivais. Paredes de Coura salva-se em grande estilo. Tem uma data de características (geográficas, conceptuais, etc) que o tornam único e especial.

Quanto a Bonnie 'Prince' Billy, como só fui ao primeiro dia do Alive, tentei ir vê-lo à ZDB no sábado, mas já não arranjei bilhete. :|

anauel disse...

É, também já tinha percebido que Paredes de Coura é "o" festival.

E não estava a desancar particularmente nos festivais, gente chata há em todo o lado. Mas as probabilidades num festival são maiores... Aliás, só para veres bem como as coisas são, na ZDB tinha ao meu lado uma tipa que embirrou o concerto todo com o meu.... cotovelo! Vê lá tu bem isto...

Ah, e não cheguei a comentar o notável título desse tal post... muito bom mesmo, pena que não te tenhas safado, depois, no sábado.