sábado, julho 21, 2007

Dick Farney

Ao fim da tarde regressámos a Santa Teresa subindo pelas Laranjeiras, Rua Alice em diante. Já lá em cima, bem em cima, numa curva forrada a verde, numa curva mágica, pude parar, admirar e respirar a rua e a casa onde nasceu e viveu um dos meus maiores heróis brasileiros — Dick Farney. Estar ali, por momentos, rodopiar debaixo de uma lua que observa deitada num azul tranquilo, entre o verde o azul, naquela curva, imaginar o som do piano de Farney descendo a colina, os "drinques" tinindo, tudo faz mais sentido.





[O filme está bem manhoso, eu sei, mas se for visto ao som de Um Piano Ao Cair da Tarde, tudo bem.]